quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Em verdade, em verdade vos digo...

Vou comentar hoje sobre uma realidade dura de ser aceita: contos de fadas.
Não queridas meninas iludidas, romance além da conta não existe, principes encantados ricos também não.
Imagine a situação: você é feia, pobre, burra, desleixada, destrambelhada, sofre de transtornos piscológicos e mora numa cidade de interior (do tipo Isabella Swan, Crepúsculo) aí um cara super rico, inteligente, dono de empresas, hiper civilizado, mega educado sem contar que é o homem mais lindo do universo ( do tipo Christian Grey, 50 Tons de Cinza) SIMPLESMENTE SE APAIXONA POR VOCÊ.
Quais são as probabilidades disso acontecer? Nenhuma.
Então qual é o porquê de garotas simples esperarem romamces arrebatadores cheios de paixão e presentes caros?!
Eu acredito em amor, mas no amor simples, que não se compra com um carro, um amor que aceita erros, encherga defeitos e mesmo assim não não esmorece, amor que não tem medo de ficar junto enquanto dure e que não passa por dramas retratados em novelas, sem grandes vilãs e sem grandes desavenças.
Na verdade é sempre mais simples do que se espera, a gente é que inventa e sonha demais.
Quem sabe se todo mundo se amasse assim, as histórias dos livros não mudariam e nós teríamos leituras mais agradáveis e construtivas e a maioria das meninas (que são mais propensas a essses tipos de devaneios tolos) não enchessem suas cabeças de caraminholas.

Um comentário:

  1. Essa criação de expectativa excessiva que é desnecessária.

    ResponderExcluir